O 60º Congresso Brasileiro de Química trouxe, na tarde da última quinta-feira (18), o estudo de materiais biodegradáveis nanocompósitos com potencial aplicação na indústria de alimentos.

“Nos últimos 100 anos, os plásticos oferecem soluções inovadoras para as necessidades e desafios de uma sociedade em constante evolução”, afirmou o professor e doutor Edwin Ariel Segura Gonzalez, graduado em Engenharia de Alimentos pela Universidad Especializada de las Américas (UDELAS), no Panamá. Porém, novas tecnologias vêm oferecendo materiais biodegradáveis nanocompósitos na fabricação dos plásticos. O professor Edwin estuda bactérias, como Escherichia Coli, para a fabricação de embalagens plásticas.

Segundo o palestrante, atualmente, os plásticos permitem satisfazer inúmeras exigências funcionais e estéticas, como também na busca de soluções biodegradáveis.

Um dos materiais mais utilizados é o poliestireno, que é aplicado em bandejas, vasos, pratos e outros produtos. A Ásia é responsável por 51% da produção mundial de plásticos, seguido da Europa, com 16%. A América Latina responde por 4% do total mundial na fabricação de plásticos.

Os plásticos biodegradáveis são materiais que se decompõem naturalmente no meio ambiente, e podem ser produzidos a partir de polímeros oriundos de matéria-prima renovável como vegetais, mandioca, cana-de-açúcar, milho e outros.

Os materiais nanocompósitos utilizados na fabricação do plástico biodegradável, baseados, por exemplo, em ácido poliláctico (PLA) e dióxido de titânio (TiO2), possuem propriedades específicas, como ausência de toxidade e ação bactericida na sua decomposição na natureza.

Para o professor Edwin Gonzalez, as propriedades mecânicas do PLA e TiO2 contribuem para acelerar a decomposição dos materiais biodegradáveis. Gonzalez conclui que os estudos de desenvolvimento de nanopartículas vão prolongar a vida dos alimentos, evitando o escurecimento de frutos e hortaliças e ajudando na decomposição de embalagens, nas quais são armazenadas.

Fonte: http://cfq.org.br/noticia/60o-cbq-materiais-biodegradaveis-nanocompositos-com-potencial-aplicacao-na-industria-de-alimentos/